O PODER DA ORAÇÃO

SAIBA COMO PEDIR E RECEBER A BENÇÃO:


Não basta pedir; temos que buscar o que pedimos. Não basta somente buscar; é preciso bater à porta trancada. Aquele que busca tal diligência receberá aquilo que deseja.

Jesus mostra a necessidade de diligência, de desejo intenso e de perseverança na oração. Aquele que não é intenso nas coisas espirituais dificilmente receberá resposta de Deus, dessa maneira, portanto a oração faz parte, necessariamente, de nossa vida espiritual.

Pedir é receber, buscar é encontrar, bater é entrar. Veja em sua Bíblia Mateus 7:7-8

Em Tiago 4:3 nos ensina como pedir. Aquele cuja vida espiritual já é bem desenvolvida evita pedir mal. A verdadeira oração deve estar sintonizada com Deus; e é esse tipo de oração que sempre recebe a resposta certa.

As promessas de Deus são tão grandes, tão vastas, tão enfáticas e tão iluminadas.

1. A resposta de Deus às nossas orações (subentende) serve de um agente que redunda na glória de Deus. O Senhor de forma alguma, responderá à oração que é contrária à sua glória.

2. A oração deve ser feita em nome do Senhor Jesus Cristo
(Jo 14:13,14; Jo 16:23-24), não porém como forma litúrgica; mas sim por sermos seus discípulos, por recebermos o seu nome, por estarmos identificados com Ele. Somente aqueles que estiverem verdadeiramente imersos no Espírito de Cristo é que sentirão a inclinação de orar por aquelas coisas que realmente são espiritualmente benéficas para eles mesmos ou para seus semelhantes contribuindo para a causa de Cristo.

COMO ORAR

1- Jesus ensinou como se deve orar: Mt 6:5 ao 8
2- A oração deve ser feita com fé: Mt 17:20.
3- A oração deve ser perseverante: Lc 18:1-8.
4- A oração deve envolver coisas práticas e terrenas: Mt 7:7-11 e 6:11.
5- A oração pode solicitar força espiritual: Mt 6:13.

Tal como Jesus, o Apóstolo Paulo deixou grande exemplo de orações práticas:
Col 1:3, 4:12; Fil 1:4; 1Tes 1:2; Rm 1:9,10 e Filemon 4.

1- A oração é feita no Espírito: Ef 6:18.
2- A oração chega mesmo a ser um dom do Espírito Santo: 1Co 14:14-16.
3- A oração deve ser ousada, e assim será eficaz - 1Jo 3:21,22
4- A oração pode curar o corpo e deve ser usada com essa finalidade: Tg 5:13-18.

Esclarecimentos sobre a Palavra de Jesus em Mateus 6:5 ao 8:

Em Mateus 6:5, Jesus nos ensina: "E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão." - Comentário: Era a posição usual da oração, e isso não era ostentação da parte dos que oravam. Naqueles tempos, ajoelhar-se é que seria considerado ato de ostentação. Os judeus punham-se de pé para orar, voltados de frente para o templo ou para o lugar mais santo (quando estavam no templo). Ver 1Samuel 1:26; 1Reis 8:22. Também eram empregadas outras posições, como ajoelhar-se, prostrar-se. A prática da oração em pé continuou na igreja primitiva.
Aqueles homens selecionavam os lugares públicos para orar. Chegada a hora da oração, oravam onde se encontravam, sem nenhum peso de sua hipocrisia, mas até com orgulho. Provavelmente o costume de orar em horas certas começou bem cedo na história do judeus. Ex: Daniel 6:10,11.

Em Mateus 6:6, diz assim: "Mas tu, quando orares, entra no teu quarto, e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em oculto: e teu Pai, que vê secretamente, te recompensará." - Comentário: Quarto, no grego = Depósito ou despensa do administrador da casa. Lugar onde ninguém suspeitaria encontrar alguém orando. Mais tarde, a palavra passou a ser usada para indicar qualquer sala privada no interior da residência. Em secreto = Havia uma crença que Deus habitava no lugar mais remoto e secreto do templo, o lugar mais santo (Heb 9:3), onde o sumo sacerdote podia entrar, uma vez por ano.

Em Mateus 6:7, diz: "E, orando, não useis de vãs repetições como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos." - Comentário: Repetições = Os adoradores de Baal, no Carmelo, e os adoradores de Diana, em Êfeso, são exemplos antigos. Os pagãos, antigos ou modernos, são exemplos disso, pois pensam que cansando seus deuses com repetições conseguirão o que lhes pediu; mas os paternostros e Ave-Marias não são diferentes. Na história dos judeus conta-se que alguns deles imitavam o estilo das orações pagãs. Pelo seu muito falar =
1° pensavam que Deus considerava o número das orações proferidas para aquilatar o valor da oração.
2° pensavam que o acúmulo de orações repetidas tinha o efeito de cansar os ouvidos de Deus obrigando-o a responder.

Em Mateus 6:8, Jesus adverte: "Não vos assemelheis pois a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes." - Comentário: Não vos assemelheis, pois a eles:...
1° É uma forma pagã.
2° É absurda.
3° Deus é Pai que cuida de seus filhos, e não precisa ser pressionado para responder às suas orações.
4° Deus conhece as necessidades de seus filhos antes que eles orem ou repitam suas petições. Oramos a um ser bem-informado, pronto a acudir àqueles que se valem dele. Leia todos os versículos do Salmos 139, e aumente sua fé no Deus Altíssimo, Criador e Onisciente.

PORQUE ORAR

1- A oração leva-nos a perceber mais claramente os nossos desejos e necessidades espirituais.
2- A verdadeira oração nos desenvolve no espírito, nas forças espirituais, por que nos encontramos em lugar secreto.
3- A oração nos dá o exercício espiritual de que precisamos, especialmente no tocante à nossa dependência de Deus.
4- A oração dá ou cria mais fé. Quando chegam as respostas e bençãos de Deus, aumenta a nossa fé.
5- A oração também poder servir de escola da alma para ensinar a vontade de Deus na vida.

Veja alguns textos bíblicos:

1- A oração abre o caminho de acesso ao Pai, a fonte de todo o bem estar, temos que chegar à Ele confiadamente: Heb 4:16 e João 16:24.
2- A oração abre portas à Palavra, em relação ao ministério de pregação do evangelho designado por Deus: Col 4:2-4.
3- Jesus deixou o exemplo; Ele vivia em constante oração: Mt 14:23.
4- As orações sobem até o Trono de Deus como incenso: Ap 8:3 ao 6

A FÉ E O PODER DA ORAÇÃO

No tocante a acontecimentos físicos reais, o próprio Jesus não tentou mover literalmente um monte (Monte= declaração hipérbole). Mas no terreno espiritual ele arredou, muitos obstáculos gigantescos. É que Jesus não estabeleceu limites ao poder da fé e da oração. Todo bem que vem a um homem, virá se ele for homem dotado de verdadeira fé. A fé é uma relação com Deus no nível da alma, mediante o que o homem é espiritualizado, podendo receber a benção divina.
Quando alguém se “entrega a Cristo”, para que todo o seu ser seja absorvido por ele, pois para o tal “o viver é Cristo”. Sl 2:20; Fl 2:21, então esse homem terá o poder divino a fluir em sua vida. O homem espiritualizado é aquele que confia, é aquele que ora segundo a vontade divina e não de modo humano e egoísta.
O homem que ora verdadeiramente, ora com sua alma; e quando seus lábios estão silentes, ainda assim o Espírito Santo intercede por ele com gemidos que ultrapassam ao poder de expressão da humanidade. Desse modo um homem, no nível da alma, pode “orar sem cessar” I Tes 5:17. É a oração eficaz e fervorosa do homem reto que muito vale, Tg 5:4-6.
Obs: Meditemos por um momento na presença espiritual conosco. Se Deus está conosco, por intermédio de seu Espírito, então pensemos no que isso significa para o poder da oração. Então eu oro. E quando oro o poder espiritual toma conta de mim, ultrapassando em muito às minhas forças e poderes. Esse poder espiritual faz a obra.

RESPOSTA DE DEUS AS ORAÇÕES

Exemplificando sobre a parábola do juíz iníquo e da viúva, em Lucas 18:1 ao 8:

Devemos seguir o exemplo dessa mulher, orando de maneira incessante, aprendemos a lição difícil que as respostas às nossas orações pode ser adiada, e que talvez isso requeira uma entrega absoluta e a determinação de obter respostas para as nossas orações. E as razões para tanto são alistadas abaixo:

1º - O motivo dessa demora não é que Deus deixe de entender-nos, ou que relute em responder-nos. A demora não visa ao benefício de Deus, e, sim o nosso.

2º - A oração disciplina é, por si só, um ótimo edificador do caráter cristão, que nos ensina a buscar o mundo lá do alto, que só se preocupa em conservar o contacto com as coisas divinas, em existência terrena de outra forma dolorosa. A prática da oração deve ser complementada pela prática da meditação, porquanto esses dois exercícios se completam, e formam os lados da “expressividade” e da “atenção” de um exercício espiritual. Espera-se que, durante a meditação, Deus empregue nossas faculdades intuitivas a fim de informar-nos sobre a resposta que procuramos, no homem interior. Algumas pessoas chegam a passar por experiências espirituais nesse exercício, e recebem respostas mais vívidas do que a intuição geralmente lhes propicia.

3º - Deus adia as respostas às nossas orações a fim de que nossos motivos e alvos sejam purificados. Nada recebemos porque pedimos erradamente, por motivos egoísticos, de forma ignorante ou estúpida.

4º - Deus demora em responder-nos a fim de que o nosso desejo seja intensificado, e então, com o desejo intensificado, a busca se torna automaticamente mais intensa, e assim, o resultado final pode ser muito mais completo e satisfatório do que de outra maneira. Assim acontece no caso da oração. Trata-se de uma disciplina; é uma maneira de obter um novo vislumbre do destino e do propósito de existência, embora seja um caminho árduo, porquanto essas coisas só em suas mais claras perspectivas para aqueles que as desejam acima de tudo, e que não aceitam recusa às suas orações.

5º - É possível que somente por meio de uma busca tão apaixonada assim é que a maldade deste mundo possa ser vencida, porque conforme já se tem dito de determinados esportes: “A melhor arma é o ataque”. A arma da paciência, acrescentada à fé, torna-se uma força poderosa. Podemos cobiçar respostas imediatas, fáceis e baratas, que nada tenham em si mesmas senão alguma vantagem ou conforto egoísticos, quer para mente, quer para o corpo. A vida entretanto é uma escola, e muitas lições de amor e de sofrimento precisam ser aprendidas ainda. O sofrimento torna a alma mais profunda, e o propósito central dessa existência terrena é justamente aprofundar a alma. Talvez desejamos usar a oração como se fora a chamada “lâmpada de Aladim”, mas Deus estabeleceu outras regras para a resposta na oração.

6º - Em seguida voltamos a atenção para os resultados da oração, e vemos que assim como o lar se torna mais querido quando a viagem de volta ao mesmo é mais longa e acidentada, assim também o resultado final da oração é mais precioso quando sofremos a fim de obtê-lo. O próprio sofrimento nos transforma em pessoas diferentes, mais capazes de buscar e de obter alvos dignos. Mas eis que então nos lembramos da oração de Jesus, feita no horto do Getsêmani, por três vezes repetida e proferida em agonia. Outrossim, precisamos aprender ainda uma outra lição muito difícil: a oração nem sempre é respondida, a despeito da diligência de nossa busca. Contudo, se a alma se desenvolveu nesse processo, isso, por si só, já é uma resposta aceitável, e então podemos deixar o resto nas mãos de Deus. E assim podemos perceber a mão de Deus a proteger-nos bem como os seus propósitos a guiar-nos perenemente. Então somos prostrados mas não destruídos; ficamos exaustos, mas não totalmente vencidos; falhamos, e apesar disso os desígnios e propósitos de Deus para as nossas vidas são cumpridos. Todavia a nossa fé jamais falha, porque cremos que apesar de tudo, em última análise, nos sobrevirá o bem.

- Mas Deus se demora, a fim de testar a nossa fé, a fim de ensinar-nos melhor, nos discipulando; e além disso, de acordo com o elemento tempo, ele sabe o momento mais vantajoso para nós, sem importar se sabemos disso ou não.
- A aplicação geral desta parábola é que temos o dever de exercer aquele mesmo tipo de fé e de oração persistente da viúva pobre. Ela não ficou desanimada ante a demora, mas voltava cada vez, com maior insistência, solicitando que se reconhecesse o direito de sua causa e que se tomasse ação justa a respeito.
- E a persistência dela foi tão intensa que até mesmo um juiz indiferente e sem escrúpulos não foi capaz de resistir às suas solicitações. Deus também pode demorar-se e suprir-nos a resposta, sem esperar que esta seja vazada em termos gerais, a saber, concernente a todos os acontecimentos de nossas vidas ou seja vazada em termos específicos, fazendo justiça em casos de perseguição contra nós.
- O que é certo é que os adiamentos de Deus são efetuados de acordo com a Sua sabedoria, porquanto há um momento para todas as coisas. O socorro eventual de Deus entretanto, é algo que nos está absolutamente assegurado.

APÓS A ORAÇÃO, COMO TOMAR POSSE DA BENÇÃO

Se você orou para pedir a Deus em sua vida, restauração, libertação, cura de enfermidades, perdão pelos pecados, saiba que Jesus Cristo já levou consigo quando foi crucificado. Portanto é sua a decisão no sentido de aceitar o sacrifício de Jesus por você e todas as bençãos que resultam disto. Em Isaías 53:4-5, diz: Verdadeiramente Ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas, Ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades: o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas suas feridas FOMOS curados.

A Palavra de Deus é poderosa, devemos usá-la em nossas orações e pela fé, tomarmos então, posse da benção, pois, Jesus Cristo já fez tudo por nós. Temos que confiar e esperar em Deus, que tudo Ele fará.

Como foi dito anteriormente, não é por muito falar que você será ouvido, nem por muito orar, mas por falar a Palavra da fé. Daniel buscou o Senhor e falou a Palavra da fé. O anjo do Senhor, que veio em seu socorro, lhe disse que viera exatamente por causa das suas palavras. Em Daniel 10:12 diz: Então me disse: Não temas, Daniel porque desde o primeiro dia, em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras; e eu vim por causa das tuas palavras.

Uma coisa você pode estar certo. Quando você orar com fé, clamar à Deus, e for determinado, em tomar posse da sua benção em o Nome de Jesus Cristo, os anjos do Senhor virão em seu socorro. Não é necessário pedir que eles venham. As tuas palavras pronunciadas de acordo com a Palavra de Deus os farão vir. Eles sabem muito bem executar o ministério que o Senhor lhes concedeu. Em Hebreus 1:14 diz: .....são todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação. Veja também Salmos 34:7.

Prezado amigo, seja uma benção e aproveite essa oportunidade que Deus está oferecendo, pela oração e pela fé em O nome de Jesus Cristo, tome posse, e seja um vencedor.

Atente à estas Palavras de Jesus: Buscai, pois, em primeiro lugar, o reino de Deus e a sua justiça, e todas as outras coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos inquieteis com o dia do amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal. Mateus 6:33-34. Aprenda a esperar em Deus, pois Ele é fiel quanto às Tuas promessas. Leia Salmos 37:3 ao 8.